Os melhores cérebros são das pessoas mais distraídas

Minha mulher reclama muito que eu sou desatento. Muitas vezes esqueço coisas que ela pede pra eu fazer, faço 10 coisas ao mesmo tempo ou não presto atenção quando as pessoas estão falando comigo. Agora eu descobri a causa: eu sou um gênio. Explicação:

Segundo um estudo científico publicado na revista Psychological Science, os investigadores Daniel Levinson e Richard Davidson (universidade de Wisconsin-Madison, EUA) e Jonathan Smallwood (instituto Max Planck, Suíça) estabeleceram a ligação entre a maior memória operacional e a tendência do cérebro em dispersar-se por diversos pensamentos.

Em resumo, pessoas com alta capacidade de memória operacional se distraem mais facilmente em tarefas rotineiras pois o cérebro “reclama” de ter pouco trabalho e aloca outros pensamentos na memória operacional ociosa. É como se o cérebro de uma pessoa assim preferisse tarefas mais difíceis e ficasse entediado com coisas mais cotidianas.

Eu sabia que toda essa minha distração tinha a ver com genialidade, agora há um estudo científico sério mostrando isso. O estudo foi realizado por Daniel Levinson e Richard Davidson (universidade de Wisconsin-Madison, EUA) e Jonathan Smallwood (instituto Max Planck, Suíça).

Quem tiver curiosidade de ler o estudo (em inglês), clique aqui.

Mais informações aqui e aqui.

Veja também

<>

Comentários

Topo