A hora do pesadelo. Ou: como trocar a bateria do MacBook Pro Retina 15″ modelo A1398

No intuito de agradar seus acionistas e aumentar seus lucros, a Apple vem tomando uma série de decisões de produtos que são vastamente questionadas no mercado (em que pese eles continuarem vendendo como nunca). E não há nada errado em questionar, a gente está na internet pra isso mesmo (e pra ver gifs de gatinhos). Algumas decisões são questionadas com justiça, outras por pura birra.

No meu caso, o motivo da crítica está numa zona cinza entre a birra e uma decisão estúpida da Apple. Como proprietário de um MacBook Pro Retina 15″ Late 2013, tive a necessidade de trocar a bateria. Nos modelos anteriores (sem tela retina), era um procedimento extremamente simples. Remover a tampa de baixo tirando os parafusos, tirar os parafusos da bateria (que requerem uma chave Three-Wing que ninguém tem) e voi lá, bateria removida e trocada.

Eis que a Apple decidiu que a gigantesca bateria destes novos MacBooks deveria ser colada com um adesivo industrial desenvolvido pelo MacGyver. Não encontrei uma explicação oficial da Apple sobre esta opção, mas para a substituição as instruções são claras: trocar o Top Case INTEIRO do equipamento. Isso significa base de alumínio, trackpad e teclado indo junto com a bateria. Absolutamente desnecessário.

Todas estas medidas são para desmotivar o usuário a substituir peças por conta própria, encontrando alternativas muito mais baratas no mercado. Você é obrigado a fazer upgrades em seu Mac diretamente no sites, ANTES de comprar. Se pegar com 8GB de Ram, só lamento, vai usar com 8GB até ele morrer de vez. Com a bateria é a mesma coisa, quer trocar? Boa sorte.

Como eu me recusei a embarcar nessa (que custaria alguns milhares de reais no Brasil), procurei meios alternativos de fazer isso. As opções não foram animadoras. Encontrei um vídeo de um indiano (ou algo que o valha) ensinando a remover a bateria usando UM CORDÃO.

– Em 2017 teremos carros voadores

– Realidade: cordão para remover a bateria de um notebook

Depois de muito relutar, resolvi seguir o conselho de um indiano desconhecido e com muito esforço removi a primeira célula da bateria (são 6) usando um cordão. Com os dedos quase em carne viva, decidi que não ia continuar com este procedimento e decidi procurar outro.

A segunda opção encontrada foi jogar solvente embaixo da bateria, para derreter a cola. Eu poderia listar centenas de motivos para não fazer isso, mas a equação “componentes eletrônicos + bateria potencialmente inflamável + solvente” não me pareceu atraente. Foi aí que parti para minha terceira alternativa: secador de cabelo. Não que apontar um jato de vento muito quente para uma bateria seja a melhor ideia do mundo, mas é sabido que é relativamente seguro, então fui nessa.

Cinco minutos apontando o secador pra segunda célula da bateria e com uma espátula de plástico bem duro (agora já tinha mais espaço por ter removido a primeira célula), foi possível ir removendo a cola por baixo forçando a bateria. Nesse momento percebi que o secador era desnecessário e fui removendo a cola das outras células. Saldo final: 2h, algumas labaredas (não encoste objetos metálicos na bateria, vá por mim) e 2 módulos removidos. Mais 10 minutos e removi os outros 4 módulos depois que já tinha me tornado expert na arte da gambiarra.

Digito estas mal traçadas linhas do computador com a bateria trocada e me pergunto: por que, Apple? Por que?

Veja também

<>

Comentários

Topo