Conheça o CriptoReal, uma criptomoeda desenvolvida no Brasil para os brasileiros

O mercado de criptomoedas bombou de vez em 2017 e espera-se uma adoção ainda maior por parte das pessoas em 2018. Surgiram diversas novas opções ao Bitcoin, sua estrela mais popular. Aliadas a proliferação de Exchanges (as “casas de câmbio” das criptomoedas), essas moedas digitais foram o assunto do ano.

O Brasil não deixou de ter sua parte nesse bolo todo e além de uma legião de adeptos e de investidores, alguns projetos nasceram por aqui e pretendem ganhar uma fatia considerável desse mercado. É o caso do CriptoReal. O nome sugestivo guarda muito mais por trás do que apenas uma simples moeda virtual. Segundo os criadores, trata-se de uma plataforma descentralizada de transferência de ativos. Isso é, seus usuários podem transferir valores entre si sem burocracia, com agilidade, taxas muito baixas e de maneira transparente.

Qual a diferença disso pro BitCoin? Primeiramente, os desenvolvedores tem deixado bem claro que o foco desse protocolo / moeda é manter-se descentralizado, ou seja, nada de um grande volume de moeda na mão de poucas pessoas que podem manipular seu preço, que é o que acontece com o BitCoin e suas “farms” chinesas de mineração.

Além disso, os criadores pretendem criar parcerias dos mais diversos tipos para que a moeda seja adotada como meio de pagamento pelo varejo, o que dá a ela uma utilidade verdadeira para que faça sentido sua existência.

O CriptoReal foi lançado no último sábado (13/01) e já teve iniciada sua mineração, ou seja, qualquer um de posse do hardware adequado pode “minerar” as moedas neste início e ficar com elas. O site www.criptoreal.org contém uma série de informações sobre a plataforma, desde sua criação, algoritmo utilizado, GitHub, redes sociais até detalhes sobre sistemas de “airdrop” (quando os criadores distribuem moedas gratuitamente) a bounties (recompensas), onde qualquer um pode completar certas tarefas (como twittar ou traduzir artigos) e receber moedas como premiação.

Os criadores também informaram que pretendem realizar um crowd funding no começo de fevereiro para arrecadar fundos para divulgar o projeto e listar a moeda nas Exchanges (as Exchanges cobram uma taxa para listar as moedas em seus portfólios). Isso se dará com a venda de uma quantidade determinada de moedas que qualquer um poderá adquirir. Também está nos planos listar a moeda em Exchanges a partir de março, o que possibilitará uma valorização no seu preço.

Quem me acompanha no twitter sabe que eu venho investindo em criptomoedas há um bom tempo. Neste mercado todos os dias surgem moedas onde os criadores a desenvolvem apenas com o intuito de gerar um “pump and dump” (inflar o preço artificialmente, ganhar dinheiro e depois abandonar a moeda). Porém, depois de analisar o CRS (sigla do CriptoReal) acredito que ela possa ter o seu espaço e se sustentar a longo prazo. Eu já estou minerando as minhas e correndo atrás de airdrops e bounties :D

Minha empolgação com o CRS é tanta que eu me ofereci para ajudar no projeto e cuidarei das redes sociais do CriptoReal. Você pode entrar em contato com a gente nos canais abaixo:

Twitter: https://twitter.com/criptoreal
Facebook Page: https://www.facebook.com/CriptoReal/
Facebook Group: https://www.facebook.com/groups/Criptoreal/
Blog: https://medium.com/@criptoreal
Telegram Channel: https://t.me/criptoreal
Telegram Group: https://t.me/criptorealtalk
Discord: https://discord.gg/SUHcbyv
Keybase: https://keybase.io/criptoreal
Instagram: https://www.instagram.com/criptoreal/

É legal também dar uma lida no post de anúncio do BitcoinTalk, que contém todos os detalhes técnicos do CriptoReal além de seu RoadMap. Mais informações também estão disponíveis no Medium.

Dúvidas? Comente ou nos pingue nos canais :)

Veja também

<>

Comentários

Topo