What does IT stand for?

Vamos começar respondendo essa pergunta com algumas definições encontradas na Internet. Segundo o The Free Dictionary, TI significa “o desenvolvimento, a instalação e a implantação de sistemas computacionais e aplicações”. Outra definição utilizada: “a produção, o armazenamento, e a comunicação de informações usando computadores e tecnologia eletrônica”.

Existe no mesmo site uma terceira definição, mais completa, que é a seguinte: a tecnologia envolvida com a transmissão e armazenamento de informações, especialmente o desenvolvimento, instalação, implementação e gerência de sistemas computacionais em empresas, universidades e outras organizações”.

Particularmente, achei essas definições muito rasteiras e ultrapassadas. Minha definição de TI seria: “planejamento, análise, desenvolvimento, implementação, utilização e gerência de todos os recursos computacionais, sejam eles hardware, software, processos ou pessoas de uma organização”. Hoje, não podemos nos apegar apenas aos computadores para falar de TI. Smartphones, Palms e outros dispositivos tem a capacidade de inserir e receber dados cruciais para uma organização qualquer. Pessoas utilizam ferramentas computacionais para realizar atividades críticas e processos são desenvolvidos e utilizados para que as pessoas envolvidas possam produzir mais, e melhor.

De fato, a definição de TI não é simples, e até mesmo gestores da área tem dificuldade em delimitar sua própria área de atuação no que diz respeito a qual é a responsabilidade da TI dentro de uma empresa, por exemplo.

Num episódio do seriado britânico The IT Crowd (O pessoal da TI), a Gerente de TI da empresa está fazendo uma entrevista para trabalhar em outro lugar, quando é pega de surpresa por uma pergunta simples: “What does IT stand for?” ou, O que significa TI? O diálogo que se segue abaixo, apesar de ser puro humor, poderia refletir a realidade de muitos profissionais e empresas que dependem da TI (traduzido livremente):

Entrevistadora: O que significa TI?
Jen: O que significa TI? O que não significa TI?
Entrevistadora: Sim, sim, mas o que significa TI?
Jen: significa, significa comprometimento. Significa audácia. Significa coragem para enfrentar os problemas.
Entrevistadora: sim, sim eu posso ver onde você quer chegar, mas especificamente as letras TI, o que elas querem dizer?
Jen: o que você acha que elas significam?
Entrevistadora: não, não, talvez eu não esteja sendo clara. Eu não estou pedindo uma opinião, eu realmente não sei o que essas letras significam. Então, vamos começar com o T. O que significa o T?
Jen: preciso ir fazer xixi.

Por mais incrível e surrealista que o diálogo pareça, vemos situações parecidas no dia a dia nas empresas. A Tecnologia da Informação (significado da sigla TI), envolve toda a informatização da empresa, e tudo o que está associado/aliado as tecnologias envolvidas nesse processo, como as pessoas (tanto as que trabalham diretamente com a TI, quanto as que a utilizam), os procedimentos organizacionais envolvidos na gerência e na utilização da TI e as ferramentas de apoio.

Os donos de empresas, funcionários e pessoas que não estão ligados diretamente a TI a não ser por a utilizarem no dia a dia, ainda tem uma visão muito estreita de qual é o real papel da TI dentro de uma organização. Se pudéssemos definir em poucas palavras, essa função englobaria organizar, armazenar e filtrar todas as informações da empresa de forma automatizada, através de sistemas computacionais, suportar a operação e funcionamento de todos o ativos e softwares computacionais, prover soluções para as necessidades operacionais da empresa como um todo (gestão e operação) e aliada ao “core” do negócio, evoluir buscando vantagens competitivas.

A Tecnologia da Informação ainda não foi totalmente desmarginalizada dentro das organizações, mesmo nas grandes empresas. É fácil encontrar grandes companhias que investem pouco ou nada na TI e perdem espaço para a concorrência por cometerem o maior erro quando nos referimos a TI dentro de uma empresa que visa lucro: “TI não é CUSTO, é INVESTIMENTO”.

Muitas vezes, donos de empresas ou gestores acusam a TI de ser um mero agente causador de despesas. O que estes não observam é que, utilizando-se de um computador e de uma ferramenta de apoio adequada, um funcionário pode produzir a mesma tarefa que realizava anteriormente de maneira muito mais eficaz e eficiente, geralmente num intervalo de tempo muito menor e com a chance de erro humano bastante minimizada.

Na prática, isso significa menos gente para realizar mais, o que trás um nível maior de produtividade por funcionário. As vantagens de gerir uma empresa com TI apoiando o processo de decisões estratégicas são infinitas, não cabe enumerá-las aqui.

O fato é que sem TI uma empresa está com os dias contados no mercado. A TI há muito tempo não é mais considerada uma vantagem competitiva para uma organização. Ela faz parte do negócio e é tão fundamental quanto pessoas qualificadas para realizar as atividades inerentes ao negócio ou mesmo a matéria prima envolvida na produção de um bem ou produto.

Cabe aos empresários, gestores de negócios e administradores perceberem que a TI, como qualquer outro departamento de uma companhia, está apoiado por pessoas e procedimentos baseados na experiência, estudos científicos, no mercado e na economia. Muito do que faz a eficiência de uma TI vem do feeling do profissional por trás da atividade, mas em qualquer área é assim, nos momentos em que a experiência fala mais alto.

A TI está aí a disposição de todos, para reduzir custos, trazer eficiência e aumentar os lucros. Porém, não é nessecário explicar que sem uma boa gestão, a TI de sua empresa não passará de uma bagunça informatizada.

Veja também

<>

Comentários

Topo