TOP5 brigas de bar em filmes

Cenas em brigas de bar são o tipo do momento em que um filme se não chega ao seu ápice, ao menos prende a atenção do espectador como poucas outras cenas. O melhor de tudo é que elas são lutas diretas entre machos-alfa no seu momento mais instintivo.

Nada de frescurinhas como granadas, lança-foguetes ou pistolas. Bala não tem vez em briga de bar. No máximo uma faca que o bandido vai sacar contra o mocinho ou mesmo aquele bêbado que quebra a garrafa de cerveja no balcão e ameaça cortar a garganta de alguém.

Obviamente eu não sou louco de dizer que nessas cenas de brigas em bares eu gostaria de estar presente, não com esse meu físico de jogador de RPSLS (Rock-Paper-Scissor-Lizard-Spock). Mas se eu fosse fortão e visse uma briga injusta, se respingasse cerveja em mim com certeza eu iria arrancar alguns dentes.

Aqui vão 5 brigas de bar escrotas que eu gostei de assistir nos filmes:

1) TOP Secret: esse é um dos filmes mais escrotos da história. Uma comédia totalmente pastelão e nonsense bem no estilo Corra que a polícia vem aí ou Loucademia de Polícia. Essa briga de bar com Val Kilmer é épica simplesmente pelo fato de acontecer totalmente embaixo d´água. Sensacional, é de chorar de rir.

2) Fúria Mortal: Steven Seagal por si só já seria motivo suficiente para entrar nessa lista, mas nessa briga de bar em Fúria Mortal (Out for justice) ele interpreta o Detetive Gino Felino, um policial durão que não respeita muito as leis nem os direitos dos cidadãos de comportamento questionável. Ao procurar um bandido no bar, seus comparsas se recusam a responder as perguntas do detetive, que para conseguir o que quer faz o que todo mundo faria numa situação dessas: enrola uma bola de sinuca (a branca, claro!) numa toalha e sai espancando tudo o que se mexe. O resultado é alguns caras estéreis, outros sem dentes, narizes quebrados e muito sangue.

3) Matador de Aluguel: só no cinema mesmo (Road House no título original) pra um magricela raquítico como o Patrick Swayze ser leão de chácara de um bar casca grossa. Ele é Dalton, um cara durão que é contratado para levantar a moral de um bar que já foi bem frequentado mas hoje é um antro de gangues, prostituição e claro, brigas. A lei é simples, ou você respeita ou é expulso. Se encrencar, vai tomar porrada. Óbvio que tem caras 10x maiores e mais fortes do que o Dalton que poderiam muito bem dar uma surra no bandido, mas tem que sobrar pro mocinho. Esse filme ainda tem uma cena épica onde ele arranca a traquéia do cara e joga o corpo no rio, pena que não foi na briga de bar, ia ser muito legal. A beleza dessa cena é o chefão da gangue que domina a cidade calmamente apreciando seu scotch enquanto a pancadaria rola solta no bar, e NINGUÉM se liga de ir lá dar uns safanões no velhote. Vale ressaltar também o uso de tacos de sinuca como arma branca. Aliás, qual é a arte marcial ou escola que ensina o cara a manipular tacos de sinuca como se fossem nunchakus? Outra curiosidade é a The Jeff Healey Band, que tem um cegueta na guitarra e se garante MUITO no Blues. A trilha sonora do filme é o ponto alto.

4) Kickboxer: Van Damme (sempre ele!) é um jovem lutador inexperiente que dá apoio ao seu irmão, estrela americana do kickboxing (alguém já ouviu falar de algum americano campeão mundial de kickboxing? A galera viaja mesmo). Ele irá fazer uma luta de exibição com o temível Tong Po, o travesti mais durão da história do cinema. Desonesto como só ele, Tong Po dá uma cotovelada na espinha do irmão do Van Damme e deixa-o paralizado, fazendo com que ele busque aprendizado com um mestre shaolin obscuro que mora no meio de um bambuzal em um lugar qualquer da Ásia. É óbvio que em poucas semanas ele consegue aprender o suficiente pra destruir um cara como Tong Po, que dá caneladas numa pilastra de concreto. Isso sem ressaltar que Van Damme tem uns 1,60m de altura, é o baixinho da Kaiser das artes marciais. Enquanto ele está no aprendizado, o sensei dele ensina a arte de tomar saquê, dançar com prostitutas vietnamitas músicas dos anos 70 e óbvio, como surrar valentões que insistem em acabar com o sossego de quem quer tomar uma breja em paz. Ponto para o fato dele espancar os meliantes completamente embriagado. Outra cena engraçada é o Van Damme correndo atrás de criancinhas. Se fosse o Michael Jackson… Infelizmente eu encontrei a cena no Youtube mas o embed tá desativado, portanto é só clicar aqui e ir lá assistir. De qualquer forma vai um vídeo que achei com a dancinha que o pulha faz antes de chutar a bunda da turminha do barulho no botequim.

Skeeter – Jean Claude Van Dance from Skeeter on Vimeo.

5) Os Imperdoáveis: um dos melhores filmes que vi com o Clint Eastwood, o cara é um ex-pistoleiro fora-da-lei que resolveu se aquietar e criar porcos (sem gripe suína) num pequeno rancho no interior dos EUA. Ele cuida de seus dois filhos pequenos, não trepa nem mata mais ninguém pois é fiel a sua falecida esposa. O cara é um exemplo de regeneração, é como se o Sarney virasse caixa de banco ou tomasse conta de algum cofre e não sumisse 1 real sequer. Quando a turma queima e taca fogo no Morgan Freeman, o cara encarna um espírito meio The Bucket List e coloca no topo da lista ‘fazer uma chacina numa cidade do velho oeste’. A atuação de Luiz Felipe Scollari Gene Heckman como Xerife é genial também.

Veja também

<>

Comentários

Topo