TI Vira! – To byte or not to byte?

O avatar de Penny não é por acaso: eu também vivo rodeada de nerds. Marido e amigos que adoram conversar sobre assuntos que eu não entendo e que só me chamam a atenção quando podem fazer a diferença na minha vida. Por exemplo, quando falam dos notebooks da Apple. Eu já queria um desses porque a personagem de Rory, no seriado Gilmore Girls, tinha e eu achava lindo, mas descobrir que ele pode ser colorido e que é essencial pra quem gosta de mexer em fotografias fez toda a diferença para mim. Fora que o símbolo da maçãzinha é fofo.

Aqui, eu não pretendo explicar como funciona um computador, as últimas novidades do mundo tecnológico ou dizer quem faz e acontece no mundo dos nerds, afinal isso vocês sabem muito melhor do que eu. O que me sugeriram, foi comentar o que vocês muitas vezes não enxergam: existe vida além dos bytes. Se a coluna não é o que você nerd amigo está esperando, I’m sorry. Suspeito que continuará a não entender porque sua namorada não gosta de videogames e perder dicas de como fazê-la ao menos suportar esse seu vício, a não entender também como funciona o cérebro de quem não consegue detestar o Windows (juro, eu não consigo) e outros questionamentos sheaksperianos do século XXI.

Mas se você leu até aqui, é porque acho que vamos nos dar bem. Em troca, eu peço apenas a sua paciência. Entendam que existem pessoas que conseguem ficar sem acessar o Google durante dois dias seguidos simplesmente porque não estão afim e que nem suspeitam que existam malwares e adwares soltos na atmosfera tecnológica… and guess what? Mesmo assim conseguem viver!

Lição do dia para mim: Salve sempre o seu texto no Word antes de publicá-lo.

Lição do dia para vocês: Inventem alguma coisa que faça isso automaticamente.

Veja também

<>

Comentários

Topo