Porque o Twitter não vai Orkutizar

A fama de gafanhoto do internauta brasileiro trás uma certa apreensão para os utilizadores da nova rede social do momento, o Twitter. Com a popularização da ferramenta, matérias em capas de revistas de grande circulação e uma matéria exclusiva no fantástico, a tendência que todos esperam é a de orkutização do twitter.

Em primeiro lugar, o que seria orkutização? A grosso modo, é mais ou menos o que os alemães queriam fazer com os judeus. Exterminar, matar, destruir. Grande parte culpa da inclusão social, o orkut foi a maior vítima da falta de educação dos brasileiros na utilização de uma rede social.

Bem, se a rede é social, envolve convivência entre pessoas que devem respeitar regras e conceitos básicos de coletividade. Não importa se a rede é real ou virtual, a interação vai existir e a falta de educação do brasileiro nesse ponto foi automaticamente digitalizada, não diria virtualizada pois ela é BEM real.

Não saber escrever, xingamentos, comunidades dizendo eu odeio isso ou aquilo, apelação, destruição de comunidades com joguinhos e afins (já há jogos como “siga a pessoa acima no twitter”) e principalmente invasão sem o menor sentido de comunidades gringas apenas para dizer “nóis manda, o Brasil comanda”.

Vi diversos debates no início da destruição do orkut de gringos revoltados com brasileiros invadindo e destruindo comunidades onde o idioma inglês era o principal e nosso povo muito hospitalar postando em português e XINGANDO os estrangeiros por reclamarem ou falarem em inglês. Falta de respeito total da nossa parte. Quem mais sofreu com isso foi Gary Dikarev, que teve a audácia de criar uma comunidade chamada “WTF this crazy brazilian invasion?”. Ele mostrou ser um visionário, pois isso foi ainda no comecinho e ali ele já percebia que o orkut tinha ido pro saco do papafigo. Para provar que isso é verdade, segue artigo de 2004 da revista Paradoxo.

Imagem de um típico internauta brasileiro fotografado no momento em que acessava o Orkut.
Imagem de um típico internauta brasileiro fotografado no momento em que acessava o Orkut.

Mas por que eu acho que o twitter não vai orkutizar? Simples, pelo conceito que envolve a ferramenta. Orkut e Twitter são duas redes sociais, porém com objetivos muito diferentes. Enquanto o Orkut mistura fotolog, blog, fórum de discussão e exposição massiva, o Twitter segue mais um conceito de compartilhamento de informações. Se você já usou o mIRC, imaginem uma versão estática do mIRC. No Twitter você só segue quem quer e o melhor, só é seguido por quem você quer. Se alguém twitta demais, se alguém twitta porcaria, você simplesmente pode ir lá e dar um unfollow ou melhor ainda, bloquear a pessoa.

No caso do twitter, a rede social funciona melhor ainda como uma escola do ensino médio. Se alguém é popular no twitter e diz que fulano é legal, automaticamente esse fulano irá ganhar dezenas de seguidores, mesmo que seja um chato de galochas. E quando falo popular, falo da quantidade de seguidores, o que já gerou uma discussão acirrada entre mim @bqeg, @oquestao, @izzynobre e o @cardoso, a respeito do que é ser influente ou popular no Twitter. O que também prova que a ferramenta pode produzir debates interessantes e envolver pessoas desconhecidas umas para as outras.

Diz-me com quem andas, e te direi se vou junto. No Twitter é mais ou menos assim. Não estaremos livres das aberrações que vemos no Orkut aparecendo no Twitter, mas acredito que será em bem menor escala. Porém, os efeitos brasileiros na infraestrutura já estão sendo e serão sentidos principalmente no downtime do serviço. Tenho pena do responsável pela Gerência de Capacidade e Disponibilidade do Twitter nos próximos meses.

Veja também

<>

Comentários

Topo