Não entende ironia? Quem mandou não estudar?

Uns posts atrás eu falei da burrice de uma fã retardada do Justin Bieber e coloquei um ‘easter egg’ no texto. Escrevi propositalmente ‘se expressão’ para ver se alguma fã do pirralho iria perceber a cagada e me corrigir, pra saber se nesse mar de futilidade tem algum adolescente que se salve. Para minha desagradável surpresa, ninguém se preocupou com as ameaças que a menina fez, me xingando gratuitamente e postando como anônima usando o mesmo ip logo depois de ter feito 2 comentários grosseiros. Todos só queriam me corrigir. MUITO ARGUTOS. Alguns ainda podem alegar que eu dizer que foi proposital é só uma desculpa pra mascarar meu erro. Mas até eu provar que focinho de porco não é tomada…

Eu sei que não preciso dizer e nem gosto de usar essa frase, pois odeio quando usam comigo. Mas eu estava sendo irônico. É, caceta. O problema continua sendo a boa e velha língua portuguesa. Toda hora escuto que ninguém é obrigado a entender minha ironia. E eu digo: é sim. Se você frequentou as aulas de português na escola, vai saber que a ironia é uma figura de linguagem muito usada desde a época que a Hebe ainda era virgem. Não entender ou não procurar entender a ironia contida num texto só mostra sua incapacidade em fazer uso da língua portuguesa. Se você começar a pensar diferente vai ver que a ironia é um instrumento do autor, que busca aguçar o sentido de interpretação do leitor e fazê-lo tirar suas próprias conclusões em relação ao que está escrito.

Portanto, se você não gosta ou não entende ironia saiba que o problema é seu, não meu. Se você parou e perdeu tempo escrevendo pra corrigir o ‘se expressão’ e não fez um comentário sequer sobre a agressividade, ameaça e burrice da menina, bem, isso explica muita coisa. Como bem lembrou o follower @mau_mesquita no Twitter: é esse tipo de gente que vai virar médico e cuidar de mim quando eu for velho. Espero que eu tenha uma morte rápida e indolor.

Veja também

<>

Comentários

Topo