Michelângelo ou pintor de rodapé? A escolha é sua.

Escrever em blogs não é uma receita de bolo. Não há como adicionar uma pitada de idéias, 1 quilo de palavras, 250 gramas de editor de texto, embrulhar numa bela embalagem e ter um blog de sucesso ou perfeito. Blogar é falar sobre o que você gosta, falar do que não gosta, sobre o que te deixa triste ou feliz, sobre qualquer bobagem. Blogar é escrever, escrever, escrever…

Mas o mais importante é: blogar não é obrigação. Mesmo blogueiros profissionais precisam separar as coisas. Blogar é trabalho, mas não pode ser trabalho escravo. Não se pode blogar por obrigação. Escrever é uma das poucas profissões que permite trabalhar muito mais com a inspiração do que com a transpiração. Quando o segundo supera o primeiro, não sai muita coisa boa. Compare escrever em blogs com a pintura. Quando você escreve com o coração, é como se você estivesse incorporando um Pablo Picasso, ou um Michelângelo. Quando você escreve por obrigação, incorpora o pintor de rodapé.

Durante as ultimas semanas, o Feedburner, agregador do Google começou a apresentar problemas e exibir números malucos. Isso não é a primeira vez que acontece, nem vai ser a última. Muita gente diz que não se preocupa com números, que bloga porque gosta, mas sempre nos pegamos chateados quando vimos que o número de assinantes foi reduzido pela metade ou menos. Pensamos que os leitores nos abandonaram, que estamos fazendo algo errado ou falhando. Mas o leitor que assina o feed, é um leitor fiel. É alguém que de alguma forma se identifica com você o suficiente pra lhe entregar fidelidade e ler o que você escreve todos os dias.

Assim como falei sobre o Google Analytics num post anterior, os serviços do Google são bons mas não são a oitava maravilha do mundo como todo mundo pensa. Por trás da empresa estão máquinas, uma infra-estrutura que mesmo sendo superior as outras é composta por MÁQUINAS, e como Matrix nos provou máquinas falham. Não se deixe desanimar porque o Feedburner bagunçou o seu número de assinantes. Eles estão ali, lendo o que você está escrevendo, mesmo que os números não mostrem isso.

Quando você se pegar chateado, pensando em desistir do seu blog por ocorrências como essa, pare, pense e procure buscar de volta aquele sentimento que você teve e o levou a escrever e criar o seu blog. Procure reacender aquela chama. Se não conseguir, basta voltar aqui e ler esse texto de novo. E bola pra frente.

Veja também

<>

Comentários

Topo