Lavar os pratos nunca foi tão ecologicamente correto

Existe um código secreto não revelado pelos homens no que diz respeito a lavar pratos. Homens não gostam de lavar pratos (ok, esse não é o código, calma), na verdade, se dependesse de nós sempre utilizaríamos descartáveis seja na cozinha ou em qualquer outra área onde demanda trabalho braçal para deixar algo limpo.

A coisa mais ou menos funciona assim:

– Se a vida ainda não brotou na prática dentro da pia, não é hora de lavar os pratos;
– Se estou tomando refrigerante em xícaras de café, o sinal de alerta deve ser ligado;
– Se eu começo a mexer o leite com Nescau com garfo por falta de colher… Aí sim. Hora de lavar uma colher. Isso se não houver alguma que não esteja tão suja e permita uma limpada rápida na toalha da mesa ou mesmo uma lambida simples para deixá-la como nova;
– Quando não houver mais NADA limpo na cozinha, nem facas para mexer o leite nem potes de patê para beber água, só nos resta contratar alguém para lavar a maldita louça, que nesse momento é o segundo pico mais alto do mundo, perdendo apenas para o Everest.

Tá, mas onde entra a onda verde e a tecnologia nessa história aí? Bem, aqui não entra nada, mas essa idéia aqui é muito legal. Um escorredor de pratos com 3 recipientes de onde saem plantas que além de fazer fotossíntese, deixam o ambiente árido da cozinha mais agradável para realizar a nefasta tarefa de lavar a louça. E o mais legal, elas são regadas com a água que eescorre dos pratos lavados. Muito bem pensado! Isso é o que eu chamo de usar a tecnologia, design e vontade de ajudar o meio ambiente de uma forma legal, sem ecochatismo. Vejam as fotos:

trio_1trio_2

Sensacional, não é mesmo? Só vejo um problema. Em casas como a minha, onde levo mais de 1 mês pra criar coragem e lavar os pratos, as pobrezinhas iriam morrer de sede :-(

Mais fotos aqui.

Veja também

<>

Comentários

Topo