He is a Transpondster!

O meu episódio preferido de Friends tem uma passagem épica, que dura até o final do seriado. Numa aposta entre Monica/Rachel x Chandler/Joey sobre quem conhece quem melhor, a última pergunta do lightning round para as meninas é sobre a profissão do Chandler. A gente só vai descobrir isso MUITO depois. Ele trabalha com “Statistical Analysis and Data Reconfiguration”. Hoje, se analisarmos o nome fica fácil entender o que ele fazia. Mas na época era difícil imaginar. Hoje, isso acontece com os especialistas em mídias sociais.

Eu não sou um expert na área. Sei apenas do potencial que os blogs e sites tem como criadores e reprodutores de conteúdo. As pessoas leem blogs e grande parte confia  na opinião do seu ou de seus blogueiros preferidos. Porém, os Analistas de Mídias Sociais, que são as pessoas responsáveis por criar esse canal entre o blogueiro e o anunciante estão, em alguns casos na minha modesta opinião, pecando em seu trabalho. Vou explicar o motivo.

Imagine que você recebe um e-mail com um questionamento a respeito de uma campanha. Você responde que está aberto a ouvir a proposta. Logo em seguida você recebe um email agradecendo a resposta e perguntando se você gostaria de ouvir uma proposta. Ops, entramos em loop.

Me impressiona ver que um Analista de Mídias Sociais não consiga usar e-mail. A ferramenta mais básica da Internet, que existe há quase 40 anos. Já está obsoleto e deixará de existir, dizem. Como confiar na opinião de um profissional que não consegue utilizar de forma correta e coerente uma ferramenta que é essencial e fundamental para o seu trabalho? Você se deixaria ser operado por um médico que estivesse lendo um PDF de como usar o bisturi na sua frente? Por mais tosca que a comparação seja, afinal, um erro de um Analista de Mídias Sociais não vai matar ninguém, é mais ou menos essa a impressão que temos.

Está muito difícil entender quem são, o que fazem ou como fazem os Analistas de Mídias Sociais. Eu como blogueiro encontro-me perdido. Não sei se tudo é muito complicado para eu entender, ou realmente ainda estamos num limbo nesse aspecto. Tudo o que eu sei é: se você se propoe a fazer algo de forma profissional, não basta ter apenas as ferramentas corretas. Você deve saber usá-las. O resultado pode não ser perfeito, mas ao menos evita a fadiga.

Veja também

<>

Comentários

Topo