Empresas e redes sociais: uma luz no fim do túnel

Se você achava que o mundo ia acabar em 2012, pode refazer as suas contas e começar a armazenar coca-cola e doritos a partir de agora. Parece que o descaso com que os clientes brasileiros são tratados pelas empresas prestadoras de serviços diversos está dando pequenos passos para sumir. Issó só pode ser prenuncio de um apocalipse.

Brincadeiras a parte, é importante ressaltar o esforço de algumas empresas em atender bem os seus clientes. Se por um lado temos obrigação moral de denunciar os maus tratos e meter o pau quando essas empresas nos tratam como gado, também é fundamental reconhecer quando a postura é correta, proativa e busca atender o cliente de forma decente (que, ressalte-se, é OBRIGAÇÃO dessas empresas).

Eu tive esse privilégio com a GVT, que através de um tweet meu entrou em contato comigo para tentar resolver de forma mais rápida o meu problema. Isso mostra iniciativa por parte da empresa. As redes sociais tem um papel fundamental nesse aspecto e hoje vemos empresas com perfis no Twitter, no Orkut e no Facebook só para citar os mais conhecidos. Equipes são montadas para procurar referências e conteúdo onde estas empresas são citadas.

Outro caso importantíssimo aconteceu com a Telefônica. A Juliana Sardinha, uma referência em termos de Blogosfera no Brasil é a proprietária de um dos maiores e mais referenciados blogs do país, o Dicas Blogger (que possui um banner na nossa sidebar de parceiros). Juliana escreveu esse texto falando como um pouco de boa vontade e uso correto de ferramentas e redes sociais pode melhorar a imagem da empresa. A imagem da Telefônica não é das melhores, com milhares de clientes reclamando do nível do serviço e do descaso no atendimento, além da péssima qualidade da infraestrutura. A empresa foi até proibida de comercializar novos acessos de Internet Speedy enquanto não resolvesse os problemas estruturais de sua base instalada. Mas eis que um perfil no Twitter ajudou a Telefônica a recuperar parte de sua credibilidade com uma usuária que até na justiça foi tentar resolver seu problema e não obteve êxito.

Se as empresas brasileiras prestadoras de serviços, sejam eles de tecnologia ou não, perceberem o poder que redes sociais como o Twitter tem para criar mais um canal de contato com seus clientes dando novas opções de atendimento para eles, terão sua imagem muito mais positiva no mercado, afinal, não existe propaganda melhor que o boca-a-boca de quem é usuário de um determinado serviço ou produto.

Veja também

<>

Comentários

Topo