Desvendando o Foursquare em seus prós e contras

Um dos aplicativos mais utilizados em smartphones mundo afora, o FourSquare virou febre entre os brasileiros já há algum tempo. Mistura de APP com Rede Social, o objetivo é fazer ‘check-ins’ nos locais onde você passa. Mas não só isso, é uma rede colaborativa onde você pode cadastrar na rede os locais que visita, como restaurantes, hotéis, parques, bares, etc. Qual a vantagem disso? Baseado em sua localização, o sistema diz tudo o que há próximo de você. Faça uma busca por ‘Farmácia’ e descubra onde está a mais próxima. Parece muito útil, e é mesmo.

O problema é que no caso do Brasil, em primeiro lugar pensamos logo na questão da segurança. Avisar onde você está (e com um smartphone na mão) não parece muito inteligente. Mas tudo bem, só seus amigos do 4SQ podem ver isso em tempo real. Outra questão é os ‘stalkers’. Pessoas que podem se disfarçar em um profile qualquer e seguir todos os seus passos através dos seus ‘check-ins’.

A grande mania mesmo do 4SQ é coletar ‘badges’. São distintivos que você recebe por uma série de atividades que realiza usando a ferramenta. Se você fizer um check-in de madrugada, se você fizer mais de 10 check-ins em um único dia, etc. Brasileiros viraram verdadeiros caçadores de badges, alguns de forma ilícita, dando check-ins falsos ou cadastrando venues (endereços) que não existem apenas para conquistar ‘status’ na ferramenta. Essa mesma atitude ilícita é usada para conquistar ‘mayorships’, que são as ‘prefeituras’. Quando você é o maior frequentador de uma venue num certo espaço de tempo, você se torna o ‘mayor’ dela.

O potencial da ferramenta é enorme, pois é extremamente útil não só para quem usa, como para donos de estabelecimentos, que podem fazer promoções do tipo “cadastre uma dica sobre nosso restaurante e ganhe 10% de desconto” ou outra promoção qualquer para quem chegou até o estabelecimento via 4SQ. O downside disso é que por ser uma ferramenta de colaboração, as pessoas cadastram os endereços incompletos, com erros de digitação, informações falsas e bagunçam todo o sistema.

O 4SQ também tem um sistema de pontuação. A cada visita em uma venue, a cada venue nova cadastrada, o usuário recebe um número x de pontos. Ninguém sabe ainda como esses pontos serão aproveitados, mas com certeza os criadores da ferramenta tem alguma carta na manga relativa a isso.

Uma iniciativa interessante apareceu essa semana. Eu uso a APP RunKeeper, para iPhone que registra todas as minhas atividades físicas. Após concluir a atividade, a APP tuita no meu profile e manda direto pra minha página pessoal no site do RunKeeper. O sistema gera uma série de relatórios e tendências para minhas atividades. Em parceria com o 4SQ, o RunKeeper disponibilizou uma série de badges que você ganha a medida que realiza atividades como correr 5km ou correr uma maratona. O legal disso é que a conquista de badges serve de incentivo para as pessoas se movimentarem e fazerem atividades físicas.

Por fim, algumas dicas de como usar bem o 4SQ e tomar cuidado com sua segurança:

1) Evite check-ins em locais ou bairros que você sabe que não são seguros;

2) Faça check-in ao sair do local, não ao chegar. Isso minimiza quem é stalker em tempo real;

3) Procure cadastrar uma venue completa, com endereço, número e uma referência que ajude a localizá-la;

4) Antes de cadastrar a venue verifique se ela já não existe, para evitar redundância;

5) Não floode o 4SQ com shouts para ganhar badges, procure entender como cada badge é conquistado. Há diversos sites explicando como ganhar badges no FourSquare;

Como qualquer ferramenta (ou rede social) que compartilha informações suas, o 4SQ é bastante útil mas requer muito cuidado no seu uso. Fique atento e curta a ferramenta, mas proteja sua integridade privacidade enquanto isso.

Comentários

Topo