Como escolher a sua TV nova

Essa semana resolvi comprar uma TV nova para por na sala, em substituição a velha TV CRT de 29″. Meses atrás, comprei uma LCD de 32″ da Samsung mas por comodidade preferi deixá-la no quarto, visto que usamos pouco a sala. Mas após organizar os móveis, senti a necessidade de ‘equipar’ a sala com uma TVLCD de 42″ e conectá-la a um HTPC, para ter uma central de mídia ligada diretamente a TV com filmes, séries, músicas, etc. Mas como decidir qual TV é a ideal? Como escolher uma TV nova? Qual é melhor, LED, LCD ou Plasma?

1) Espaço. Em primeiro lugar, você deve saber onde a TV será colocada, para dimensioná-la de acordo com o espaço disponível no cômodo. Uma TV grande demais pode prejudicar sua visão. Já uma TV pequena demais prejudica a qualidade da experiência assistindo-a. O ideal é que você saiba a distância disponível do sofá para a TV. A distância entre onde você irá sentar-se para assistir e a TV deve ser pelo menos 3x maior que o tamanho diagonal da TV. Uma TV de 42″ possui tamanho diagonal de aproximadamente 107cm. Portanto, a distância ideal é de pelo menos 3,2m. Sabendo essa distância fica fácil saber o tamanho ideal de tela para o cômodo.

2) Custo. É óbvio que este item é importante, se você não for Tony Stark ou Bruce Wayne. Você deve estimar qual o custo máximo para a TV que você quer adquirir. A partir daí, pesquisar quais modelos estão disponíveis naquela faixa de preço.

3) Features. O que a sua TV nova deve ter? No meu caso, eu decidi que queria uma TV que tivesse resolução de 1080p (a chamada FullHD). O normal é que elas sejam HD, com resolução de 720p. O que dizem por aí é que na distância ideal, não se nota quase nenhuma diferença entre uma TV de 42″ FullHD e uma apenas HD. A diferença só seria perceptível mesmo em TVs de 46″ em diante. Acho que isso não é nenhuma verdade universal e cada caso é um caso. Outra feature interessante visto que a TV Digital está chegando ao Brasil é o conversor digital integrado. Há conversores avulsos no mercado, mas além de ocuparem espaço são bem salgados, com preço girando em torno de 300 reais. Portanto, se você estiver na dúvida entre 2 modelos, um tendo conversor e outro não, se a diferença no preço for de até 300 reais e você fizer questão do conversor, vale a pena pagar essa diferença. Eu não fazia questão, visto que em PE só temos 2 canais em resolução HD e mesmo assim quase nada da programação é transmitida em HD. Por enquanto, conversor digital integrado ainda é um diferencial que não faz diferença alguma. As TVs mais modernas estão vindo ainda equipadas com porta USB nativa, que lê arquivos de áudio, vídeo e imagem. Ou seja, elas executam aquela mesma função que os “DVDs que lêem DIVX”. Ou seja, você poderá executar arquivos digitais como filmes, seriados e MP3 direto do pendrive e isso é uma vantagem e tanto, pois praticamente elimina a necessidade de um DVD Player ocupando espaço em seu rack. Essa função também era obrigatória na TV que eu escolhi.

4) Tecnologia. LED, LCD ou Plasma? Bem, é fato que as TVs de LED possuem uma tecnologia mais moderna, com LEDs que emitem as cores primárias no lugar de um backlight de luz branca. Além de mais finas e mais ecologicamente corretas, as TVs de LED consomem bem menos energia que as TVs de LCD. Nesse caso, as de Plasma são as que saem em desvantagem. O problema é que não há TVs pequenas de Plasma, o normal é encontrá-las apenas em 42″. As TVs de LED ainda são lançamento no mercado e além de possuírem muito menos modelos que as LCD, o preço ainda é MUITO salgado. Portanto, considero que hoje a melhor opção é a LCD, considerando que você irá passar no mínimo uns 3 anos (ou mais) com essa TV.

Considerando tudo isso, a TV que eu escolhi foi a LG 42HD460, que é FullHD, possui conversor digital integrado e entrada USB que reproduz DIVX e DIVX em HD (mkv).

Se tiver alguma dúvida, basta comentar.

Veja também

<>

Comentários

Topo