Cinema e Videogames tornam as pessoas assassinas

Antes de você correr para os comentários, spoiler: eu não concordo com o título. Um novo debate acerca desse tema, que já é extremamente datado, surgiu após um atirador matar mais de 20 pessoas e a si próprio numa escola nos EUA. Civis podem portar armas por lá, dessa forma há a cultura do “tenho arma para me defender”. A NRA (National Rifle Association) emitiu um comunicado pró-armas. Nossa, que novidade. Os sujeitos vendem armas e manifestaram-se em favor delas? Incrível.

Segundo a NRA, “videogames e filmes violentos” são os responsáveis por massacres como o que ocorreu nos EUA. Culpar jogos e filmes pela violência é como culpar o carro por um atropelamento. Carros não transformam pessoas em assassinas. Eu não passei a atropelar pessoas deliberadamente porque tirei carteira de motorista. A questão aí não é o porte de armas em si, mas sim porque diabos um garoto de 20 anos portava um AR-15. Pra quem desconhece a arma, um exemplo simples: é a “AK do CT”. A arma que o CT usa em Counter-Strike, também conhecida como Colt. Pra quem quiser saber o poder de fogo de uma dessas, só olhar o vídeo:

Pouco importa se ele usou ou não a arma na chacina. Mas não faço ideia de por qual motivo civis portariam uma arma desse calibre. É compreensível que armas de menor porte, como um 38 ou pistolas leves sejam vendidas, mas vender armas de guerra pra cidadãos comuns? Não pode dar certo. Independente disso, qualquer um disposto a matar, o fará. Com ou sem armas de fogo. Para isso há explosivos, veneno, combustíveis, e dezenas, centenas de outras coisas que podem ser usadas pra cometer um crime horrível desses. A questão é que com armas de fogo menores, o dano também é proporcionalmente menor.

Milhares de fatores podem contribuir para que esse jovem tenha feito o que fez. Distúrbio mental, educação, bullying, não importa. Mas culpar jogos e filmes por tornar pessoas violentas é ridículo, uma tentativa desesperada de tirar o foco da discussão sobre o porte de armas no país mais belicista do mundo. Jogos, assim como filmes, possuem restrição de idade. Já armas, bem…

Jogadores de videogame e fãs de cinema cometem o crime único de se divertirem. Bem diferente de terrorismo, guerras religiosas, fome e miséria causadas por governos e corruptos, ditadores e genocidas. Não existiam videogames quando os EUA entraram na Guerra do Vietnã, que causou a morte de mais de 1 milhão e meio de soldados, 2 milhões de feridos e quase 5 milhões de mortes em civis. É uma discussão sem propósito.

Videogames não matam pessoas. Filmes não matam pessoas. Armas não matam pessoas. Pessoas matam pessoas. Não basta acabar com filmes e jogos violentos. Não basta proibir o porte de armas. É o ser humano e seu comportamento que deve ser analisado.

video_game_violence_by_asacolips-d3bf743

Veja também

<>

Comentários

Topo