A eterna briga entre Freetards x Microsoft

Por conta desse artigo do Cardoso lá no Meio Bit, começou mais uma discussão sobre quem é melhor: o Linux ou o Windows. O mundo contra a Microsoft. O velho #mimimi de sempre.

Como profissional de TI há mais de 10 anos, vou repetir uma coisa que deveria constar em qualquer manual para quem é da área, mas parece que na hora do calor muitos esquecem. Sem falar que brasileiro detesta ler manual:

“O melhor sistema operacional é o que irá melhor atender a necessidade do seu cliente.”. Claro, isso falando no mundo coorporativo. No caso do mundo doméstico, não adianta choramingar. O Windows é melhor do que o Linux para 90% dos usuários.

Antes que os xiitas de plantão resolvam atirar paus e pedras e dizerem que eu sempre pago pau pra Microsoft, eu explico: levando-se em conta fatores como conhecimento na utilização, facilidade de uso/instalação, disponibilidade de drivers, penetração no mercado, e milhares de etceteras, o Windows acaba tornando-se mais “atrativo” para os usuários comuns. O que não quer dizer que ele seja mais rápido, mais bonito, mais estavel, mais seguro, mais nada. Para os hard users, vai muito do gosto de cada um.

Porém, o artigo citado não trata-se de Linux x Windows. Os Freetards é que resolveram desvirtuar a discussão. O artigo fala que (rufem os tambores, peguem suas cadeiras!) o Firefox padrão, baixado do site da Mozilla, é mais rápido para navegar no Windows XP do que no Linux (Fedora 10).

E o que isso quer dizer? Que o Windows XP é melhor? Não, gafanhotos. Mas serve como um castigo de 200 chibatadas naqueles que procuram chifre em cabeça de cavalo. Existe uma relação direta entre Windows x Internet Explorer, afinal, o navegador pertence a Microsoft e vem embarcado no SO da empresa do Severino Gates.

Mas, porém, entretanto, contudo, todavia… Não dá pra associar o Firefox ao Linux. O Firefox não é o “navegador do linux”. Não é um insulto ou um absurdo ele rodar melhor e mais rápido no Windows. Acontece. Há 1000 razões que podem explicar isso.

Desde quando existe uma relação de dependência entre quem usa Firefox e Linux? Acredito que uns 80 a 90% dos usuários de Firefox naveguem por ele com o Windows insttalado na máquina. Nem é preciso ser muito inteligente pra concluir isso, dada a penetração das diversas versões do Windows nos Desktops espalhados pelo mundo.

Só falta os xiitas gritarem “Ah Ah, Uh Uh! O Firefox é nosso!”. O fato é:

– Não é porque um software é livre que ele é bom (na verdade, poucas vezes de fato é);
– Não é porque um software é da Microsoft que ele é ruim (apesar de muitas vezes ser);

Generalização em um mercado mutante, impossível de ser previsto com precisão é burrice. Não adianta aceitar goela abaixo qualquer coisa que seja, muito menos fingir que algo não existe ou não funciona. O ditado da Casa Lux Ótica (vou lembrar qual é, para os novinhos que estão lendo) “Quando a gente não quer, qualquer desculpa serve) não funciona nesse caso.

Veja também

<>

Comentários

Topo