A arte do Overclocking

Overclocking é o ato de fazer com que um determinado componente do computador trabalhe numa frequência acima da normal recomendada pelo fabricante. A grosso modo, é uma forma rápida de deixá-lo mais ‘rápido’. Normalmente isso é feito em processadores e memórias.

O objetivo é claro, ganhar mais desempenho da máquina, porém se o overclock for mal executado o resultado pode ser longe do esperado. Overclocks mal feitos podem trazer sérios danos ao equipamento, até mesmo danificar de vez o processador, por exemplo.

Diversas técnicas são utilizadas para um overclock mais eficiente, mas as maiores velocidades são conseguidas quando os equipamentos são mergulhados em nitrogênio líquido, que encontra-se em uma temperatura de -196°C. Um dos principais problemas do overclocking é o superaquecimento dos componentes, por isso essa técnica garante que os processadores cheguem a velocidades surreais de processamento.

No vídeo abaixo, uma galera leva um processador PIV a 5ghz mergulhando-o em nitrogênio líquido. Vejam que legal e não tentem fazer em casa (se forem fazer, me chamem!):

Legal né? Se você quiser brincar, por sua própria conta e risco em casa, basta mexer um pouco no FSB (front side bus) e no multiplicador do processador na BIOS da placa-mãe. É a soma desses dois fatores o que dá a velocidade final do processamento. Vá aumentando aos poucos e teste a estabilidade do sistema. Excesso de overclock não só pode queimar o processador como deixar o sistema muito instável.

Aparentemente o vídeo foi gravado em 2003, e foi postado no Youtube em 2006. Imagine o que é possível conseguir com os processadores atuais, como o core i7 da Intel.

Mais informações sobre Overclocking na Wikipédia.

Veja também

<>

Comentários

Topo