6 táticas obscuras para ganhar seguidores e ser um loser no Twitter

O brasileiro tem uma capacidade infinita de buscar auto-afirmação. A internet parece ser o santo graal para o alpinismo social virtual. Ou seja, tudo o que o sujeito não é na vida real, almeja ser na vida virtual, mesmo que para alcançar esse status quo digital faça uso de táticas inescrupulosas. Esse mesmo sujeito estará xingando muito no Twitter falando como os políticos são corruptos. Esse mesmo sujeito pegará uma contra-mão para ganhar tempo no trânsito. Esse mesmo sujeito não devolverá o troco que receber a mais no supermercado.

No Twitter a coisa parece ser ainda mais grave. Criou-se uma ilusão de que ter muitos seguidores no Twitter dá relevância a pessoa, como se relevância fosse algo tangível como uma dúzia de laranjas.  E as ‘técnicas’ para ganhar mais followers são diversas, algumas chegam a ser cômicas:

1) Script. Essa é a campeã, mais ‘eficaz’ e a mais difundida. O sujeito segue 50.000 pessoas e espera que a maior parte dela o siga de volta. A culpa é de quem usou o script? Não, é de quem segue alguém que segue 50.000 pessoas. Alguém que segue tanta gente mostra claramente que não que ler ninguém, só quer mesmo aprender a contar números grandes;

2) Followback. Essa é uma arma ainda mais explícita do que o Script, pois a ‘eficácia’ é de 100%. A pessoa só segue quem seguir de volta. É ainda mais babaca do que o script, pois além de safado o sujeito é birrento;

3) ‘Não consigo te mandar DMs’. É um pedido de follow velado. Quer falar com a pessoa? Manda reply, email, se vira. Essa desculpa soa como “poxa, seria tão bom se você me seguisse, assim eu poderia te mandar DMs legais”. Parece choro de menina enjoada;

4) Followback seguido de unfollow. essa é pros Chuck Norris do script. O sujeito paga de bonzinho, segue Deus e o mundo, espera um tempo e dá unfollow em todo mundo. De repente o mané está com 50.000 seguidores e seguindo 100 pessoas. Criou-se uma falsa sensação no Twitter de que quanto maior o quociente entre seguidores x seguidos, mais relevante é a pessoa. Normalmente, se as pessoas não forem muito famosas ou mesmo usuárias de script, elas serão muito seguidas por conta do seu conteúdo. Naturalmente essa pessoa será retuitada, seus tweets começarão a pipocar nas timelines de muita gente e gerará curiosidade, culminando no follow. Quem tem muitos seguidores mas segue pouca gente, o faz por consideração a quem segue. Essas pessoas querem REALMENTE LER o que os seguidos escrevem. Além de ser uma rede social de intrigas, sexo e corrupção, o twitter se bem usado também pode ser uma ótima fonte de cultura, informação e entretenimento;

5) Follow e unfollow interminável. Algumas pessoas pra chamar a atenção de alguém que elas almejam ter como seguidor, preferem chamar a atenção como colegiais que tiram foto na frente do espelho fazendo duckface. Reply? Interação? Nada disso. Follow na pessoa, em seguida unfollow. É parecido com aquela menina retardada que entra no msn e fica offline 20x seguidas, pro cara que deu um pé na bunda dela notar que ela ficou online e ir puxar assunto. Sério, é vergonhoso.

6) Pedido de follow. Algumas pessoas acham que sendo ‘educadas’, pedindo para serem seguidas causarão simpatia dos outros e receberão o follow como prêmio. Na minha opinião, pedir follow é como colocar símbolo da AUDI numa Kombi. É patético. Eu não quero seguir pessoas por motivos banais, quero interagir com elas. Apesar de virtual, o twitter é uma rede social e como disse o gravz, o assunto ali são pessoas, e não coisas ou números;

Antes que os chatos de plantão metralhem sua verborragia, eu não estou cagando regra. Na verdade isso é a minha opinião, você lê, entende, concorda, discorda, faz o que quiser. O único aspecto que deve realmente ser levado a sério nisso tudo é que ‘status’ na Internet é o mesmo que dedo mindinho do pé. Não serve pra porra nenhuma e você só lembra dele quando leva uma porrada. A minha parte eu quero em dinheiro, faz favor.

Veja também

<>

Comentários

Topo