6 coisas que você provavelmente não sabe sobre o Oscar (não o Schimdt, a estátua)

O Oscar 2010 acabou de passar e diversas surpresas ocorreram, como por exemplo Avatar não sendo o bicho papão que todos esperavam apanhando feio pra The Hurt Locker (o que me pareceu meio que uma patriotada básica), que é um filme dirigido pela ex-esposa de James Cameron (de Avatar), Kathryn Bigelow. Se Alanis estivesse no Oscar ela diria “isn´t it ironic?”. Vejam seis coisas que vocês provavelmente não sabem sobre a estatueta mais cobiçada do mundo pelos atores e atrizes:

1) As estatuetas não são de ouro puro: as estatuetas pesam aproximadamente 3,5kg. Mas elas são ‘apenas’ banhadas a ouro. Elas são feitas de um metal chamado Britannium, que é aquecido até o seu estado líquido e moldado no formato da estatueta. Em seguida é banhado em ouro 24k. A base é de níquel preto;

2) Os Oscars são produzidos em Chicago: uma empresa em Illinois chamada R.S. Owens faz todas as estátuas num processo artesanal, sem a participação de nenhum tipo de máquina/robô;

3) Os Oscars são numerados: cada estatueta possui seu próprio número de registro, como parte das medidas de segurança da Academia. A idéia é de que no futuro eles possuam microchip que permita o rastreamento;

4) Os Oscars não são exatamente baratos: cada peça custa em torno de US$500,00 à Academia. Eles na verdade são chamados de Academy Award of Merit (Prêmio de Mérito da Academia). Em média 50 estatuetas são distribuídas a cada ano, o que dá um custo de mais ou menos US$25.000,00. Avatar deve bater os US$3.000.000.000,00 de faturamento, então 25K dólares é gorjeta pra essa turma;

5) O Oscar não é só do filme, ele repousa em cima do filme: a estatueta é moldada em cima de uma base em formato de rolo de filme, com 5 partes, cada uma dedicada a uma categoria da Academia: diretores, atores, roteiristas, técnicos e produtores. Essa base faz parte da estatueta em si;

6) Os Oscars foram modelados no corpo de um homem pelado de verdade: Cedric Gibbons, um membro da Academia o desenhou inicialmente, baseando-se no corpo do diretor de cinema mexicano Emilio Fernandez, dando um tom art deco ao objeto. O design é quase o mesmo desde 1929.

Via: Forever Geek

Veja também

<>

Comentários

Topo