5 razões para proibir o comunicador instantâneo na empresa

Já mostramos o lado positivo de liberar o acesso a comunicadores instantâneos (Msn, Yahoo Messenger, Gtalk) dentro de uma empresa. Mas assim como o quente tem o frio, assim como a luz tem o lado negro da força, também temos obrigação de demonstrar as razões pelas quais as empresas devem proibir o uso de comunicadores instantâneos dentro de sua infraestrutura.

E olhe que vamos mostrar apenas cinco, mas para cada razão que temos para permitir o uso, temos outras dez para proibir. É fato que usuários não conseguem controlar-se e utilizar esses recursos com sabedoria. Também é certo que mesmo que o comunicador instantâneo seja proibido, se o funcionário quiser enrolar, facilmente ele irá arrumar outra coisa para queimar tempo.

Outra coisa que deve ser explicada, é que o intuito de mostrar essas razões não é para provar que as empresas devem necessariamente proibir o uso. Há, como mostramos antes, diversos casos em que a liberação é benéfica. Algumas vezes até compensa para a empresa perder um pouco da produtividade de um funcionário se a economia for maior com o uso de uma ferramenta desse tipo.

1) Produtividade: talvez o principal motivo e ele por si só já deveria justificar o bloqueio. Com um comunicador instantâneo a disposição, um funcionário sem consciência do uso correto e disposto a matar tempo tem tudo o que precisa em mãos para fazer isso. E nem adianta mudar o status para ausente ou ocupado. As pessoas que estão online nos contatos do funcionário também são usuários e pouco ou nada respeitam o status demonstrado no comunicador. A perda de produtividade pode ser ainda maior para funcionários que se auto gerenciam e trabalham com prazos. É provável que ele entregue o que deve no prazo, mas a qualidade do trabalho vai cair drasticamente;

2) Consumo de banda: um dos pontos quem mais são afetados com a liberação de comunicadores instantâneos é a banda de Internet e links dedicados. De cada 10 usuários que utilizam essa ferramenta na empresa, 11 trocam arquivos pelo comunicador. As fotos da última balada, aquele “programinha” legal, músicas, etc. Isso faz com que o desempenho da Internet e de sistemas dependentes da Internet para trafegar dados sejam prejudicados ou até inutilizados. Isso trará prejuízos e demora na entrega de resultados e informações cruciais;

3) Segurança da Rede: um dos maiores vilões dos administradores de rede e segurança da informação nas empresas é o comunicador instatâneo. Principalmente com o MSN, a quantidade de vírus, trojans, worms, malwares e tudo o mais que circulam pela rede e pelos PCs dos funcionários é absurda. Além de prejudicar o desempenho da rede como um todo, essas pragas irão gerar mais custos com horas e horas de suporte a infraestrutura para remoção de vírus, para levantar serviços e servidores derrubados e formatar máquinas infectadas, causando prejuízos múltiplos e interligados;

4) Continuidade do Negócio: evasão de informações sigilosas e dados estratégicos são um grande risco que a empresa corre liberando comunicadores instantâneos dentro do ambiente de TI. Óbvio que a culpa não é só dessa ferramenta. Se um funcionário com más intenções quiser extrair dados da empresa para causar prejuízos ou obter benefícios para si, ele pode fazer isso de diversas formas, mas não é porque o risco em geral é grande e o controle quase impossível que a coisa deva correr solta.  Sem falar que, com a segurança afetada como demonstrado no item anterior, a continuidade do negócio pode ser ameaçada caso ocorra uma invasão e dados sejam apagados e/ou furtados;

5) Relacionamento: essa é mais voltada para os cuecas. É só liberar o comunicador na empresa que os garanhões de plantão começam a catar os contatos das mulheres do departamento ou da empresa toda. Isso não só consome muito tempo e produtividade como geralmente causa constrangimentos desnecessários por assédio, tornando o ambiente de trabalho pesado e sem harmonia dentro das equipes. Outro ponto desfavorável é que com a perda de produtividade, chefes e suprvisores vão ter que exercer cobranças maiores sobre seus subordinados, desgastando o relacionamento com o funcionário e elevando o nível de stress.

Os motivos citados não são regra para 100% dos usuários. Se você é exceção, parabéns. Mas se você se identifica com algum dos motivos citados acima, é bom rever os seus conceitos e a forma como você utiliza essa ferramenta tão importante quanto prejudicial.

Veja também

<>

Comentários

Topo