6 coisas que você com certeza digitou no mIRC

mirc-400-400Depois das BBS, surgiram os chats em HTTP, como a sala de bate-papo do UOL e finalmente o mIRC, nome do software mais famoso do mundo para entrar nas redes de bate-papo chamadas de IRC, ou Internet Relay Chat.

Essas redes eram febre no Brasil na década de 90, algumas eram muito famosas como a BrasIRC ou a BrasNET. O objetivo era conectar-se em “canais”, que funcionavam como salas de conversa onde podia-se interagir com todos ou mesmo conversar em modo privado, o famoso PVT.

Se você fez parte dessa época, aqui vão seis coisas que com toda a certeza você já digitou:

1) Nomidade? – Essa é clássica. Principalmente os marmanjos, bastava ver nick novo no pedaço e a primeira frase era essa. Isso equivale em termos de cantada a chegar numa mulher e dizer algo como “Oi, você é um anjo? Pois você caiu do céu!”. Isso também já era reflexo da preguiça que surgiu em digitar as palavras corretamente, começando o festival de abreviações na língua portuguesa. Ninguém tinha paciência de digitar “Oi, nome e idade?” inclusive porque se demorasse muito a rede caia. Essa pergunta servia também para definir se o papo seria viável ou não. Se um rapazola pueril soltasse um Nomidade e a gatinha respondesse Clotilde 45, a conversa não seguiria adiante;

2) De onde tc? – Funcionava em conjunto com a pergunta anterior. Nesse caso era com o objetivo de delimitar a conversa geograficamente, pra saber se dali podia sair alguma coisa. Se a gatinharj_17 morasse em Copacabana e o saradao-22 respondesse “Rocinha”, a conversa morria ali mesmo e rolava um /ignore;

3) /ignore … – Quem nunca ignorou alguém no mIRC? Quem nunca deixou algum palhaço falando sozinho? Equivalente ao bloqueio do MSN, o /ignore era a versão mIRC da demonstração humana do desprezo a outra pessoa. Você não me interessa, eu não quero saber da sua existência. O /ignore fazia esse papel com maestria. Mais usado pelas mulheres que queriam se livrar dos chatos que falavam palavrão ou baixaria no PVT;

4) Me dá op! – Quem nunca pediu OP, que atire a primeira pedra. Para quem lembra da época, pedir op era ganhar uma @ na frente do nick e conseguir moderar o canal. Isso dava poderes para chutar baderneiros para fora do canal, colocar o canal em modo moderado (ninguém conseguia falar no aberto) e até banir alguém temporariamente ou definitivamente do canal. Isso dava uma moral com a galera que frequentava os canais, principalmente os grandes. E também ajudava a facilitar as coisas com as Maria-Ops, versão mIRC das marias gasolina;

5) /join #sexo -Ah, fala sério. Pode negar a vontade, mas aquele que não tiver dado uma entradinha mesmo que rápida no canal #sexo é porque nunca usou o mIRC ou então tá mentindo descaradamente! Com certeza o motivo principal era curiosidade mas alguns mais exaltados acabavam indo além disso (não me perguntem como!);

6) Fulano(a), Pvt! x) – Com certeza todo mundo já falou algo parecido. Uma conversinha com alguém tinha praticamente obrigação de terminar no PVT, sigla referente a Private (não a revista), o que em português quer dizer privado. Nesse modo só as duas pessoas conversavam entre si o que não queriam que os membros do canal soubessem.

E aí, quem se identificou com todas?

Veja também

<>

Comentários

Topo