10 jogos de ATARI que você com certeza jogou!

É inegável o legado que a Atari deixou para o mundo dos videogames. O famoso Atari 2600 foi o primeiro videogame da maioria dos trintões que jogavam em consoles na década de 80.

Jogos simples, limitados pela tecnologia da época mas viciantes o suficiente para criar uma legião de fãs e torná-los inesquecíveis.

Reuniremos aqui 10 jogos que você com toda certeza jogou ou na pior das hipóteses já ouviu falar (isso se você tiver de 25 anos pra cima).

pitfall

1) Pitfall: assim como “Crime e Castigo” de Dostoiévski, um livro que tem 50 páginas de crime e umas 500 de castigo (pra mostrar que o crime não compensa), Pitfall é um jogo que tem muito menos Pit e muito mais Fall. Explico. Eu cansava de morrer, de cair na boca do jacaré, de ser picado por escorpião, cobra, cair na fogueira… Ê vida difícil a do aventureiro. Não se pode nem fazer um passeio pelo bosque que o risco de vida é absurdo. Acho que nem se botasse o Bear Grylls ele conseguiria chegar no final. Pitfall era um jogo que todo mundo adorava jogar, mas poucos ou nenhum chegaram no final. De toda forma, um grande clássico do Atari.

 river_raid

2) River Raid: nesse joguinho, o objetivo é pegar um caça com pouco combustível, levá-lo para o lugar mais inóspito possível e por passagens cada vez mais estreitas, para quem sabe um dia, chegar em… lugar nenhum! Até hoje lembro meu recorde que foi de 145.600. Em fases em que só havia posto de gasolina a cada 10 minutos de jogo (já prevendo a crise mundial do petróleo e do fim dos combustíveis fósseis). O mais engraçado é que os helicópteros e os navios não atiravam. Eles queriam me derrubar apenas feito barata tonta, indo pra um lado e pro outro. E pelo visto o avião voava super rasante, pois o navio conseguia abalrroar o avião. Sem falar naqueles “pombos” que vinham pela lateral como elemento surpresa, mais ou menos como o Denílson na copa de 2002.

frostbite

3) Frost Bite: lugar: Pólo Norte. Missão: construir um iglu. Problema: um urso faminto e mutante quer lhe comer. Então por que simplesmente não construir um iglu e ficar quietinho dentro dele? Por que destruí-lo e sair correndo de um urso cada vez mais rápido, forte e inteligente? E como construir o iglu? Fazendo tijolos de gelo, claro! Porém, a melhor forma de fazer isso é pulando em placas de gelo que se mexem lateralmente, comendo peixes voadores e fugindo de caranguejos assassinos.

 

frogger

4) Frogger: a vida de um sapo não é mesmo bolinho. O coitado nasce de um pequeno ovo, nada como um peixe fugindo dos predadores na água, e quando fica forte e saudável, tem que fugir dos predadores na terra também. E quando as cidades invadem o seu habitat natural? Como conseguir atravessar do jardim para a lagoa? Desviando dos carros! E se der mole? Vira purê de sapo. Querendo ou não, esse é um dos maiores clássicos do Atari e era um jogo pra lá de divertido, afinal, em caso de erro, quem ia pro beleléu era o pobre Caco. Sem falar no dublê de equilibrista que ele tinha que ser para poder chegar no seu cantinho de repouso.

keystone1

5) Keystone Keepers: parece que esse jogo foi feito apenas para o mercado brasileiro. Claro! Onde mais se faria um jogo onde o objetivo é correr atrás de um ladrão cabra safado que quer fugir com o objeto do roubo? O pior não é isso, que falta não fazem uns gifs animados! Além de perseguir o Beira-Mar jurássico, o policial de Diadema tinha que pular carrinhos de supermercado e desviar de pequenos aviões que vem bem na direção da sua testa. Que Jack Bauer que nada!

 

 

megamania6) Megamania: nesse jogo espacial, você é uma pequena forma de cuzcuz nave que encontra-se perdida no espaço e deve eliminar outros eletrodomésticos inimigos para poder voltar para a cozinha sua casa. De meteoros a ferros de passar roupa, passando por hamburgueres, rocamboles, etc., tudo que caísse em sua direção e não fosse uma Brastemp levava ficha! Apesar de alucinógeno era um clássico da época.

 

 

decathlon

7) Decathlon: quando se nasce na década de 70 e se começa a jogar videogames na década de 80, você não é macho de verdade se não tiver destroçado ao menos uns dois controles de atari jogando Decathlon. Pegar menina? Que nada. O bom mesmo era mostrar o calo de sangue na palma da mão, forjado a plástico e vício como um selo de qualidade do jogador. Aquela pelanca pendurada era a garantia de que você deu o máximo em 10 duras provas do atletismo. Praticamente um rito de passagem entre um jogadorzinho iniciante e um macho alfa predador dos videogames. Ah, no jogo em si, você era um boneco palito correndo e saltando por aí.

enduro

8) Enduro: dirigir, dirigir, dirigir. Desviar de pontinhos quadrados no meio da noite, entrar em neblina pesada apenas mudando a variação da escala de cinza, ultrapassar oponentes infinitos para ganhar quatro bandeirinhas verdes. Esse era o objetivo do Enduro, um jogo bem classicão do Atari que conseguia prender (sabe-se lá como) qualquer jogador rato de Atari por horas na frente do console.

 

 

adventure

9) Adventure: talvez o jogo mais alucinógeno de todos os tempos, neste incrível game de design sofisticado, gráficos de ponta e jogabilidade suave, você era um quadrado. E como um quadrado sua missão é passar por labirintos intermináveis, procurando uma chave mágica que abrirá as portas de um castelo inabitado que contém o troféu do Campeonato Brasileiro de 1988. Tudo isso fugindo de um dragão desocupado que estava ali de passagem e resolveu almoçar você.

 

 

boxing

10) Boxe: bem, no último jogo de nossa lista, um clássico que fez muito sucesso na época, porque assim como os jogos de atualmente tinha um único objetivo. Reduzir o oponente a substrato de pó de peido. Quando tudo o que você precisa fazer é dar porraaaaada (by Paulo Massaranduba) no carinha ao lado, o sucesso é garantido. Ainda mais quando a luta se passa entre dois carangueijos. O bom da falta de processamento gráfico é que o jogo acaba ficando politicamente correto, já que temos o branquelo azedo lutando contra o preto safado afrodescentende.

 

Café com leite:

missile_command

11) Missile Comando: numa lista como essa, não poderia deixar de existir o café com leite. Talvez um dos piores jogos do Atari, claro que esse é o que tinha que vir com o Console. Em Missile Command, você era um pixel modafoca que tinha que combater raios de pixels modafocas que queriam destruir sua cidade pixelizada modafoca. Tudo o que você tinha que fazer era voar pra lá e pra cá (cada vez mais rápido) soltando rajadas de flátulos de poeira cósmica para destruir esses raios ameaçadores. Esse cansava rápido, chegava uma hora em que eu simplesmente queria que a Pixelândia fosse arder no mármore do inferno. Mas ainda assim inesquecível.

Injustiça:

hero2600

12) Hero: deixei de fora da lista de propósito. Primeiro pelo jogo ser altamente engajado e nobre. Você era um herói, como o próprio nome do jogo diz, que tinha que passar por paredes de choque elétrico, manipular explosivos perigosos, desviar de aranhas, pura e simplesmente para fazer a boa ação do dia. Levar um tic-tac ao mendigo mais próximo. Ninguém sabe por que cargas d´água o mendigo estava escondido nessas profundezas, mas um herói não questiona! Um herói faz o que deve ser feito! E tudo isso com uma simples hélice do chapéu do Kiko nas costas. McGyver é um mero escoteiro comparado ao nosso herói. Fica como o injustiçado da lista pois se não era o melhor, com certeza era um dos melhores jogos de todos os tempos para Atari.

Por essa lista ser uma coisa extremamente pessoal (assim como qualquer TOP10), sintam-se a vontade para questionar, discordar, xingar, concordar e fazer sua própria lista. Gosto é feito Atari, cada um tem o seu :-)

Veja também

<>

Comentários

Topo