• O que você precisa saber sobre Rosetta, a sonda que pousou num cometa em movimento.
  • The Cyanide & Happiness Show #1
  • Farewell, Mrs Wolowitz!
  • Como é surfar em 1000 fps
< >
< >

Os 7 passos para escolher bem um Smartphone

O smartphone é o cachorro digital. É o seu melhor amigo, é com quem você passa mais tempo e aposto que a maioria das pessoas que estão lendo esse texto dormem com ele embaixo do travesseiro. O celular tornou-se parte essencial de nossas vidas, realizando funções, economizando tempo em alguns casos, fazendo perder tempo em outros e reunindo em um único aparelho as características de dezenas de outros equipamentos.

Eu acho que esse é o grande motivo do sucesso dos smartphones. Calculadora, agenda, telefone, câmera, computador, tudo num dispositivo que cabe na sua mão. Realmente é um negócio mágico. Mas a infinidade de opções no mercado muitas vezes acaba atrapalhando na hora de escolher um desses devices. Estima-se que no mundo todo existam mais de 20 mil modelos de smartphone somente rodando Android. É coisa pra caramba. Mas como você é esperto e lê o BQEG, eis o nosso guia com 7 passos para você se dar bem quando for escolher o seu próximo smartphone.

smart

1) Preço: se a primeira coisa que você olha ao escolher um smartphone não é o preço, parabéns, você é um privilegiado. Mas essa é a realidade de poucos. Definir o orçamento antes de escolher é fundamental, pois isso já delimita o range de aparelhos que você poderá considerar na escolha. É preciso ser rígido quanto a isso, mas nem tanto. Se você estabeleceu 600,00 reais como teto, mas um aparelho um pouco melhor custa 30 reais a mais, avalie se cabe no seu orçamento e se os benefícios valem esses 30 adicionais. Não vale aqui fazer economia burra.

2) Câmera: selfies, instagram, fotos de comida, gatinhos, etc. Talvez a função mais usada pela grande maioria das pessoas seja a câmera. Se você pretende tirar muitas fotos, é importante avaliar a qualidade da câmera. Cansei de ver gente decepcionada por ter escolhido um telefone avaliando outros aspectos e a câmera era ruim. Se você gosta de fotos, sempre usa o telefone pra isso e não quer se desapontar posteriormente, observe atentamente a qualidade da câmera dos candidatos.

3) Design: muita gente pensa que o design está somente ligado à beleza do aparelho. Mas envolve muito mais coisas, como tamanho da tela, ergonomia, peso, espessura, etc. Pessoas com mãos pequenas tem dificuldade em manipular aparelhos com telas muito grandes. O oposto ocorre com quem tem mãos muito grandes. Parece bobagem, mas o prazer no uso do smartphone está muito ligado à forma como ele se encaixa na sua mão. Ignorar isso pode significar frustração e vontade de se desfazer dele em pouco tempo. Observe se a qualidade da tela lhe agrada, se o tamanho é adequado ao que você pretende fazer, etc.

4) Marca: muita gente tem problema com certas marcas. Ou por já ter sofrido com elas ou por preconceito. Mas essas experiências são essencialmente pessoais. Uma marca não deu certo pra um amigo seu, mas pode funcionar perfeitamente pra você. Não descarte nenhuma possibilidade apenas por ouvir a opinião alheia. É importante que a decisão final seja sua, pois se você se arrepender não ficará naquele climão com quem lhe deu uma dica furada. Além disso, é do seu dinheiro que estamos falando. Ninguém vai te reembolsar por uma dica ruim. Lembre-se: problemas todas as marcas tem. Celulares são máquinas e elas dão problema.

love

5) Recursos: a maioria das pessoas quer um telefone cheio de recursos, com tela imensa, processador rápido, muita memória e armazenamento. E aí passa o dia no Facebook, mandando mensagens ou tirando fotos. Verifique se você REALMENTE precisa de tantos recursos ou só quer ter eles ali por que são legais ou pra se exibir. Nada contra quem quer se exibir, mas esse não é um bom critério se você busca custo x benefício. A grande maioria dos usuários consegue ser atendida por Smartphones baratos e com recursos razoáveis.

6) Sistema Operacional: hoje temos três grandes sistemas operacionais disputando mercado. O iOS, que só roda nos iPhones, o Android, que está em 99% dos modelos disponíveis no mercado e o Windows Phone, que roda nos celulares da Nokia e alguns da Samsung. Essencialmente, todos possuem as mesmas características, com pontos positivos pra um ou pra outro. Mas para um usuário moderado, sem grandes exigências, qualquer um atende. É puramente questão de gosto. Já faz tempo que a guerra de sistemas operacionais perdeu o sentido. É normal encontrar os aplicativos principais disponíveis para todas as plataformas, ou pelo menos um similar que faz a mesma função. A não ser que você seja um hard user e o SO do smartphone seja questão decisiva, essa característica pode ficar em segundo plano.

7) Bateria: reclamar da bateria é regra. 10 em cada 10 donos de smartphone reclamam da bateria. Mas eu vejo isso de outra perspectiva. Normalmente as pessoas ficam próximas ou usando um computador o dia inteiro e podem deixar o smartphone carregando. Muita gente possui carro com conector 12V. Baterias externas que dão uma carga extra de 100% são encontradas por 20,00 em qualquer loja. Ficar sem bateria hoje em dia é basicamente descuido. Deixar um carregador em casa e outro no trabalho, ter um cabo no carro, uma bateria externa, existem várias alternativas pra quem não quer ou não pode ficar sem bateria ao longo do dia. Seria fantástico se aparelhos tivessem duração de vários dias sem precisar de recarga, mas enquanto essa realidade não chega, bateria não é um “deal breaker” na hora de escolher seu smartphone. Todos terão o mesmo problema dentro de suas faixas de preço.

E você, o que olha primeiro antes de escolher um smartphone? Concorda com a lista? Discorda? Deixe seu comentário.

Por que a Mercedes dominou a F1 em 2014?

Engenharia, apenas isso. Esse vídeo explica detalhadamente como uma ideia aparentemente simples envolvendo a turbina do motor transformou a flecha de prata num carro imbatível na temporada 2014 da F1.

Dica do Fabião

< >
< >

UmXis1

< >
Topo